Financiamento
12.jan.2022
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Quais são os gastos envolvidos no financiamento imobiliário?

Saiba quais são os custos para financiar o seu imóvel

Imagem Quais são os gastos envolvidos no financiamento imobiliário?
Logo Copiar Blog Notícia


Muitos sonham em conquistar a casa própria e a compra do imóvel é um dos momentos mais importantes na vida de uma pessoa. Comprar um imóvel exige uma série de cuidados, atenção, muita pesquisa e planejamento financeiro.


Planejamento??? Isso mesmo, planejamento.....Pois ao financiar um imóvel, significa que comprometerá pelo menos 30% da renda mensal da família por um longo período. E isso, pode levar em média de 30 a 35 anos para quitar o saldo devedor.


E para auxiliá-los nesse planejamento e não deixar de realizar o sonho da casa própria, o Grupo SP Imóvel listou os principais gastos envolvidos no financiamento imobiliário:


Reserve 20% do valor do imóvel para dar de entrada, mais o ITBI - Imposto de Transmissão de Bens e a taxa para o registro de imóvel no cartório.


Planeje-se para pagar a entrada do financiamento imobiliário


Normalmente, os bancos financiam 80% do valor do imóvel, ou seja, os 20% é a entrada que é de responsabilidade do comprador pagar à vista, com recursos próprios. Por exemplo, um imóvel avaliado em R$ 400 mil, os bancos financiam no máximo o valor de R$ 320 mil, requerendo uma entrada de R$ 80 mil.

 

Por isso, mais uma vez, o planejamento financeiro é importante. Uma opção muito utilizada para compor o valor da entrada é utilizar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, o famoso FGTS.

 

O saldo do FGTS pode ser utilizado para comprar imóvel, dar como entrada do financiamento imobiliário, para amortizar o saldo devedor ou ainda para o pagamento de prestações. Também é possível usar na construção de um imóvel. Mas não é permitido usar o FGTS para reformar e ampliar o imóvel.

 

Para usar o FGTS no financiamento imobiliário, o contrato do seu crédito habitacional deve ser pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH). E para recorrer aos recursos do FGTS é preciso estar dentro dos requisitos do fundo. Conheça aqui as situações nas quais é possível movimentar o FGTS.

 

 

Despesas extras

 

Em meio a tanto planejamento financeiro, voltado para a compra de um imóvel, é necessário que você tenha em mente que, além de guardar dinheiro para a entrada do financiamento, é necessário reservar uma quantia para as documentações da compra da propriedade, que podem variar de região para região, e também, de acordo com o valor do imóvel. Os gastos extras com documentação são referentes a:

 

• ITBI - Imposto de Transmissão de Bens 

• Registro do imóvel 

• Taxas bancárias

 

O ITBI é um tributo regulamentado por legislação municipal e deve ser pago sempre que acontece a compra de um imóvel. O recolhimento deste imposto é de responsabilidade do comprador do imóvel. Seu valor varia de cidade para cidade. Em São Paulo, por exemplo, o valor cobrado pode chegar a 3% do preço do imóvel.

 Já a taxa de registro do contrato é paga no Cartório de Registro de Imóveis correspondente ao imóvel financiado. Esses custos são possíveis de incluir no valor financiado.

 A boa notícia para quem está comprando o primeiro imóvel pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) tem desconto de 50% nessa taxa. 

 

Para avaliar as condições de pagamento do solicitante do crédito, um dos requisitos que os bancos levam em consideração para aprovar ou negar o financiamento imobiliário é a pontuação do score deste cliente.  Veja aqui a importância do Score no financiamento imobiliário.


A aquisição de um imóvel é algo que precisa ser analisada com cautela, pois existe uma série de detalhes a ser estudada. Por isso, é muito importante realizar simulações do financiamento imobiliário nos sites dos principais bancos, assim é possível ver quais instituições oferecem as melhores taxas do crédito imobiliário de acordo com o seu perfil. Nessas simulações é possível ter uma previsão das taxas de juros, seguros, amortização e dos valores das parcelas mensalmente. 

Uma taxa de juros mais alta será o suficiente para aumentar o valor da prestação e consequentemente o montante final que você terá de pagar. O nível de relacionamento do cliente com o banco interferirá na cota e taxa de juros da contratação do crédito imobiliário. Ou seja, é importante consultar mais de uma instituição bancária e avaliar as melhores alternativas de financiamento. Veja em nosso Blog: Qual é o melhor banco para Financiamento Imobiliário?


Atualmente, as instituições financeiras disponibilizam diversas linhas de crédito com taxas de juros e condições de pagamentos diferenciados. Portanto, veja qual é o melhor índice que se enquadra nas suas condições financeiras. Confira em nosso Blog: Qual é o melhor índice no financiamento imobiliário: TR, Poupança ou IPCA?

 

Caso queira conhecer mais sobre os programas de Financiamento Imobiliário de cada instituição bancária, aconselhamos ler nossos artigos:
 

 

Fonte:
SP Imóvel
O Portal de Imóvel em São Paulo de São Paulo
www.spimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
Restaurantes com espaço kids na Zona Sul: confira opções para o passeio em família
Próximo Post >
Parques em Shopping em São Paulo: 10 opções para se divertir com toda família